Return to site

Sociedade civil de Caxias apresentou demandas aos candidatos a prefeito

Mais de 250 pessoas participaram do fórum realizado ontem (19/09) na FEBF. Quatro candidatos assumiram compromisso com as propostas apresentadas.

Por Lívia Cunto

Mais de 250 fluminenses compareceram ontem ao encontro “A cidade que queremos” realizado na FEBF – UERJ para apresentar propostas aos candidatos a prefeito de Duque de Caxias. Os candidatos Florinda Lombardi (PSTU), José Cláudio Alves (PSOL), Prof. Gutemberg (REDE) e Samuel Maia (PCO) assinaram compromisso com a Campanha #Rio2017. Os candidatos Áureo (Solidariedade) e Zito (PP) estiveram presentes e Dica (PTN) enviou representante. As três candidaturas receberam o conjunto de documentos e disseram que vão analisar as propostas até a próxima semana.

O evento foi organizado pela Casa Fluminense, o Foras (Fórum de Oposição e Resistência ao Shopping), Sepe-Caxias, o FAPP-BG (Fórum dos Atingidos pela Indústria do Petróleo e Petroquímica nas cercanias da Baía de Guanabara), o Fórum de Mulheres, o Movimento de Juventudes, o Movimento RUA, o Sindicato dos Servidores, a Rede de Bibliotecas Comunitárias, o Gomeia - galpão criativo, o MUB (Federação Municipal das Associações de Moradores de Duque de Caxias), o TETO, o Fórum de Direitos da Criança e Adolescente, o SOS Jardim Gramacho, a UEDC (União dos Estudantes de Duque de Caxias) e a Igreja Católica - Região Centro.

Na primeira parte do encontro, cada organização apresentou suas prioridades. Uma demanda que atravessou todas as falas foi a de fortalecimento dos instrumentos de participação e controle social, principalmente, os conselhos municipais e os planos setoriais, como o Diretor, o de Mobilidade e o de Saneamento. Para a maioria das organizações, falta transparência na elaboração e cumprimento do que é planejado. “Caxias precisa que os cargos nas secretarias sejam ocupados por pessoas qualificadas e concursadas, que sejam responsabilizadas pelas decisões e projetos que realizem. É preciso acabar com a grande quantidade de cargos políticos nesses órgãos” defendeu Helenita Beserra, do FORAS.

A questão da saúde também foi uma pauta trazida por muitas organizações. Entre as principais demandas está o fim da terceirização dos serviços e a realização de concursos públicos para suprir o déficit de profissionais nas unidades. Sebastião Raulino, do FAPP-BG, chamou atenção especificamente para os impactos da indústria petroquímica na população que vive no entorno da Reduc e outras grandes companhias. “Precisamos de uma política pública específica para esses grupos, com fortalecimento da vigilância epidemiológica, já que os prejuízos causados pela poluição do ar e da água são físicos e psíquicos ”. Ele defendeu que o Rio precisa construir uma visão de futuro que contemple um desenvolvimento econômico fora da cadeia do petróleo.

A juventude de Duque de Caxias também marcou presença: Wesley Teixeira, do Movimento de Juventudes da cidade, pautou a questão do incentivo à produção cultural no município e a necessidade de descentralização dos equipamentos públicos por entre os distritos do município. Ele deu destaque à questão da segurança e defendeu a importância de ações preventivas como investimento em iluminação pública, principalmente nos pontos de ônibus da cidade. Outra proposta trazida por Wesley foi a criação de uma política de moradia para juventude, beneficiando estudantes que precisem deixar suas casas.

O conjunto de propostas da Agenda Rio 2017 foi apresentado por Henrique Silveira, coordenador executivo da Casa Fluminense, que chamou atenção para a necessidade de disputarmos as prioridades na escala metropolitana. “Investimos mais de 9 bilhões num metrô ligando Ipanema à Barra enquanto os trens que utilizamos todos os dias não receberão mais de 1,2 bilhões até 2020”. Ele defendeu que o município de Duque de Caxias deve se pensar como liderança da Baixada nessa articulação metropolitana.

Um dos favoritos na disputa, o candidato Zito (PP) parabenizou a organização do encontro e disse que o foco de seu governo será a educação no município, lamentando o fato da cidade estar na lanterna do ranking do IDEB na Baixada e no estado. Ele prometeu implantar mais creches. José Claudio Alves, do PSOL, foi o primeiro candidato a assinar compromisso com a Campanha, em julho. O candidato, professor universitário e autor do livro Dos Barões ao Extermínio, prometeu avançar na regularização fundiária no município como estratégia para conter a expansão das milícias, que lucram com o loteamento irregular nas franjas da cidade.

O evento foi transmitido ao vivo pelo jornal Voz da Baixada: confira a íntegra das propostas defendidas. Seguimos circulando pela metrópole em busca de compromissos dos candidatos a prefeito e vereador nos 21 municípios da metrópole. Organizações de Rio Bonito e Guapimirim vão levar amanhã suas ideias. Veja se o seu candidato já assinou compromisso com uma agenda voltada à construção de um Rio mais justo, democrático e sustentável.

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly